Ações preventivas marcam o Dia Mundial do Diabetes em Copacabana Quem passar pela praia de Copacabana nesta quinta e sexta-feira, poderá realizar exames gratuitos de glicemia e colesterol, em comemoração ao Dia Mundial do Diabetes (14). A iniciativa alerta para a relação do diabetes tipo 2 com o sistema cardiovascular com o objetivo de prevenir e conscientizar sobre os danos que a doença pode causar para a saúde.

"Apoiamos e promovemos ações de medicina preventiva, contribuindo para a melhor qualidade da vida e longevidade das pessoas. Nosso compromisso é com a saúde, já que no Brasil ocorrem 360 mil óbitos anuais decorrentes de problemas cardiovasculares", salienta o CEO da MedLevensohn, José Marcos Szuster. A empresa doou e 1,5 mil de colesterol para a realização da atividade.

Durante o evento, os participantes também poderão testar conhecimentos sobre o tema, por meio de jogos educativos. O local estará sinalizado com uma ampulheta gigante, que simboliza a importância do tempo para a vida do paciente. Haverá, ainda, uma exposição com histórias de pessoas que vivem com o diabetes, cujas fotografias foram produzidas por elas próprias.
Em 10 anos, quantidade de brasileiros com a doença aumentou em mais de 60%

Estimativa da International Diabetes Federation revelou, em 2017, que 12 milhões de brasileiros conviviam com a doença. De acordo com o Ministério da Saúde, a cidade do Rio de Janeiro é a capital com maior índice de diagnósticos no Brasil, com 10,4 casos para cada 100 mil habitantes.

Neste Dia Mundial do Diabetes, cabe atenção ao fato de que, em 10 anos, a quantidade de brasileiros diagnosticados com a doença aumentou em mais de 60%, saltando de uma incidência de 5,5% para 8,9% da população. Os dados são do Ministério da Saúde (Vigitel) e se referem ao período entre 2006 e 2016.

O diretor Médico da MedLevensohn, Dr. Alexandre Chieppe, explica que existem dois tipos da doença: o 1, que normalmente aparece na infância ou na adolescência, e o 2, que se manifesta, geralmente, em pessoas acima dos 40 anos.

"É uma doença potencialmente grave e que, muitas vezes, não é devidamente valorizada. Um número significativo de pessoas portadoras de diabetes não entende sua gravidade e seu potencial para causar danos em diversos órgãos do nosso corpo, como rins, vasos sanguíneos e coração".