General Augusto Heleno chama de levianos invavores da embaixada da Venezuela O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, falou sobre a situação complicada na embaixada da Venezuela em Brasília.

Em nota divulgada nesta quarta-feira (13), o GSI diz que o presidente da República, Jair Bolsonaro, “jamais tomou conhecimento e, muito menos, incentivou a invasão da Embaixada da Venezuela”.

O gabinete afirmou ainda que “há indivíduos inescrupulosos e levianos que querem tirar proveito dos acontecimentos para gerar desordem e instabilidade”.

Entenda o caso
Apoiadores do presidente Juan Guaidó invadiram hoje (13) a Embaixada da Venezuela no Distrito Federal. Eles reivindicam a admissão da embaixadora proclamada por Guaidó, a advogada María Teresa Belandria Expósito.

Em resposta, um grupo de 30 pessoas em apoio ao atual corpo diplomático se reuniu na porta da embaixada.

A Polícia Militar (PMDF) utilizou spray de pimenta para tentar impedi-los, embora não possa atuar na ocorrência por, tecnicamente, se tratar de uma área internacional.
Segundo a equipe de Guaidó, funcionários da embaixada permitiram o acesso ao local de Tomas Silva, ministro-conselheiro acreditado pelo Brasil. A embaixadora Maria Teresa Belandria não está no Brasil.

Segundo comunicado dela, um grupo de funcionários decidiu abrir as portas e entregar as chaves da embaixada voluntariamente, bem como reconhecer Guaidó como legítimo presidente.
A invasão aconteceu horas antes do início das atividades da 11ª Cúpula do BRICS em Brasília, que reúne os líderes de Rússia, Índia, China e África do Sul, países que apoiam a permanência de Nicolás Maduro no poder;