Disney tem funcionários pedófilos presos

Uma operação secreta realizada, na sexta-feira (8), prendeu 17 homens por crimes de exploração sexual infantil, incluindo dois funcionários do complexo de parques de Walt Disney World, em Orlando, no estado americano da Flórida.



Os agora ex-funcionários do complexo de parques temáticos são Brett Kinney e Donald Durr, que enfrentam respectivamente 24 e oito acusações por posse de pornografia infantil.



Kinney, de 40 anos, trabalhou no departamento de entretenimento de Walt Disney World durante os últimos 15 anos e recentemente teve um cargo de chefia. Ele já havia sido preso duas vezes e afirmou aos investigadores que era viciado nesse tipo de pornografia e que vinha se tratando por mais de 20 anos.



Durr, de 52, trabalhou por 20 anos no departamento de manutenção dos parques, descreveu-se como "pervertido, mas não um monstro".



Segundo o xerife responsável pelo caso, a internet deixou muito mais fácil para os predadores sexuais se aproveitarem das crianças porque agora podem ter acesso a sites de jogos virtuais, redes sociais e fingirem ser pessoas que não são.



Por lá, os investigadores que trabalham com este tipo de caso passam por aconselhamento obrigatório, pois acabam vendo imagens arquivadas pelos criminosos que contaminam qualquer tipo de mente.