Publicidade

Filho de R. R Soares é o mais cotado para assumir Secretaria de Cultura

O ex-deputado Marcos Soares, filho do bispo e líder da Igreja Internacional da Graça, R.R Soares, é um dos nomes mais cotados para assumir a Secretaria de Cultura do governo. A nomeação é discutida nesta quinta-feira (07) em um encontro entre o presidente Jair Bolsonaro e R. R Soares. O porta voz da presidência confirmou a informação, mas disse que outros nomes também estão sendo avaliados.

Se Marcos assumir,  deve substituir o economista Ricardo Braga, que após dois meses no cargo foi exonerado nesta quarta-feira (06).

Quando ainda estava na Câmara dos Deputados, Marcos foi autor de projetos considerados conservadores. Entre eles a tentativa de incluir a disciplina de Moral e Cívica no currículo do Ensino Fundamental, um projeto para determinar a execução do Hino Nacional nas escolas da etapa e a realização de audiência pública sobre “Os riscos da realização do aborto e as suas consequências – tanto na esfera judicial quanto emocional”.

A pasta, que cuida de assuntos culturais do país, e que tinha status de ministério antes de Bolsonaro pode ter seu terceiro líder em três meses.

Em agosto, o então secretário Henrique Pires foi demitido do cargo após polêmica envolvendo filmes com temática LGBT. Logo em seguida foi substituído por Braga, que ficou menos de dois meses no cargo.

Além da troca de secretário, Bolsonaro decidiu, nesta quinta-feira, transferir a Secretaria Especial da Cultura da pasta de Cidadania para o Ministério do Turismo, chefiado por Marcelo Álvaro Antônio.