Menino consegue salvar seis irmãos do massacre contra membros de uma seita Um menino de 13 anos conseguiu escapar dos homens armados que mataram sua mãe e dois irmãos, no ataque contra famílias de uma seita no norte do México. Devin Langford ainda salvou a vida de mais seus irmãos, fugindo com eles por 23 quilômetros até encontrar ajuda.

Os supostos assassinos do cartel de drogas mataram três mulheres e seis crianças da Igreja Fundamentalista de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (FLDS), dissidente dos mórmons tradicionais, e provocaram indignação e condenação nos Estados Unidos.

As famílias, membros de comunidades mórmons que se estabeleceram no norte do México décadas atrás, foram atacadas ao passarem por uma estrada de terra remota no Estado de Sonora.

Os assassinatos provocaram pedidos imediatos do presidente norte-americano, Donald Trump, para que o México una forças com os Estados Unidos para reprimir as quadrilhas de traficantes em meio a preocupações crescentes com a segurança, após uma série de assassinatos em massa nas últimas semanas.

Um homem suspeito de ter relação com o massacre foi preso. No local, a polícia encontrou dois reféns amarrados e amordaçados, além de munições e um veículo blindado. 

O ministro da Segurança do país, Alfonso Durazo, afirmou que medidas contra a violência na região serão tomadas. De acordo com ele, México e Estados Unidos irão lançar um programa para controlar o tráfico de armas.

A comunidade das vítimas e conhecida por adepta à poligamia. Sabe-se que esse grupo foi banido dos mórmons tradicionais, sendo considerados fundamentalistas e também pedófilos.

Há entre eles um caso recente de casamento entre um homem de 70 anos com uma criança de 9 anos! Além disso, defendem a ideia de purificação da raça através de relações sexuais entre pais e filhos.

No momento do ataque as famílias seguiam para Phoenix (Arizona) está localizado o maior grupo desta comunidade. A legislação daquele estado possui brechas que possibilitam algumas dessas práticas.

A Igreja FLDS surgiu no início do século 20 quando seus membros fundadores deixaram a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (SUD). A divisão ocorreu em grande parte por causa da suspensão da Igreja SUD da prática da poligamia e sua decisão de excomungar seus membros que iriam continuar a prática.