Dupla mata o irmão após revelação Zelita Pereira Neves, de 32 anos, e Marliete Pereira Neves, de 41, alegaram ter tido uma visão e entraram no quarto onde estava internado o irmão Almiro Pereira Neves, de 43 anos. Segundo a polícia, Zelita, que mora no interior de São Paulo, disse em depoimento que teve uma visão e viajou até Guanambi, no sudoeste da Bahia, na intenção de salvar o irmão.

As duas mulheres que foram presas em flagrante e devem responder por homicídio doloso, quando há intenção de matar. Elas tiveram a prisão convertida para preventiva pela Justiça segunda-feira (28).

Segundo o delegado Rudson Barcelos, as acusadas disseram que receberam uma revelação de um pastor para que fosse até a Bahia e agisse da forma que agiu, “porque Deus disse que iria salvar o irmão dela”.

Segundo o diretor médico do hospital, Juan Castellanos, na noite da última sexta-feira (25), Zelita e Marliete chegaram ao Hospital Regional de Guanambi fora do horário de visita e pediram para ver o irmão, que estava internado na emergência, pois queriam orar por ele.

Almiro Pereira Neves estava estava internado na sala da emergência do Hospital Regional de Guanambi desde o dia 21 de outubro. Segundo os relatos, as irmãs entraram na unidade, desligaram a luz e na sequência os aparelhos que mantinham ele vivo.

A acompanhante de um idoso que também estava internado na cama ao lado da de Almiro percebeu a movimentação estranha e chamou os funcionários do hospital.

Segundo os médicos, a situação de Almiro era grave. Ele não podia ficar sem a medicação e nem os aparelhos que o auxiliavam na respiração.

“Foi relatado que as irmãs tinham retirado todos os aparelhos, no caso os dispositivos invasivos, entenda-se tubo traqueal, cateter venoso central e eletrodos de monitorização. E uma delas estava em cima do corpo do irmão proferindo golpes e fazendo uma oração, talvez, mas de uma forma estranha”, disse o diretor do hospital, Juan Castellanos.

O corpo de Almiro foi encaminhado para o Departamento de Polícia Técnica de Guanambi.