Prefeitura do Rio vai recorrer contra liminar que impede fim de cobrança de pedágio na Linha Amarela A Prefeitura do Rio de Janeiro vai recorrer à Justiça para derrubar a liminar que impede a transferência da Linha Amarela para o Município e o fim da cobrança de pedágio na via. A liminar foi concedida à Lamsa na manhã desta segunda-feira, 28 de outubro.

Na noite de domingo, a Prefeitura notificou o rompimento unilateral do contrato de concessão da Linha Amarela à Lamsa, que administrava a via expressa. A determinação do prefeito Marcelo Crivella foi derrubar todas as cancelas e liberar a passagem de veículos sem pagamento de pedágio.

A medida já havia sido publicada no Diário Oficial de sexta-feira, 25 de outubro, e a notificação garantia o fim imediato da concessão. A administração da Linha Expressa, conforme aquela decisão, passou para a Secretaria Municipal de Transportes (SMTR).

Enquanto isso, operários da Lamsa trabalham na reconstrução da praça de pedágio. Mais de cem técnicos e funcionários fazem um mutirão no local para garantir a volta da cobrança de pedágio. Câmeras de monitoramento foram reinstaladas, e algumas cabines de cobrança já foram repostas.

A concessionária afirma que as obras vão custar cerca de R$ 3 milhões e devem durar um mês. A Justiça determinou que a prefeitura pague multa de R$ 100 mil para cada dia que o pedágio deixar de ser cobrado.