Prefeito de SP tem câncer e vai passar por quimioterapia O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), 39 anos, deve começar até amanhã, o tratamento de quimioterapia para combater um câncer diagnosticado na cárdia, transição entre o estômago e o esôfago. Covas permanece no cargo.

De acordo com o médico Artur Katz, durante coletiva no Hospital Sírio-Libanês, onde Covas está internado, também há uma metástase no fígado e nos gânglios linfáticos.

O cirurgião Raul Cutait disse que "O fato de não ter lesão no peritônio [membrana que reveste as paredes da cavidade abdominal e recobre órgãos abdominais e pélvicos] é uma boa notícia”.

Ainda segundo Katz, a doença foi traiçoeira, porque não havia sintoma no local. Só a trombose, que foi detectada no fim da semana passada, indicou a possibilidade do câncer.

Segundo Artur Katz, a opção pela quimioterapia é porque ela "pode englobar a doença toda ao mesmo tempo".

Os médicos afirmaram que a doença de Bruno Covas não tem relação com a do avô, o ex-governador de São Paulo Mário Covas, que morreu de câncer de bexiga em 2001.

"O câncer do Mário Covas foi um câncer de bexiga, não tem nada a ver com o que está acontecendo hoje", afirmou o médico David Uip.

A equipe explicou que esse tipo de tumor que atinge Bruno Covas é relativamente frequente, porém mais raro nos jovens.

Em nota, a Prefeitura de São Paulo disse que o prefeito "está muito bem fisicamente e com todas as condições para manter uma rotina de trabalho". Disse ainda que "ele está em contato permanente com secretários, por telefone, e está assinando atos, decretos e despachos, por via eletrônica, com a ajuda de um tablet, por meio de um sistema recentemente implantado por ele próprio na prefeitura".

Ainda segundo a Prefeitura, enquanto durar a internação, Covas atenderá os secretários no hospital.