Mangueira levará símbolos religiosos para o Carnaval O desfile da Mangueira em 2020 levará para a Sapucaí uma Maria Madalena simbolicamente LGBT e uma Nossa Senhora das Dores de luto, com uma bandeira do Brasil estilizada e a frase “estado assassino” no lugar do “ordem e progresso”.

O carnavalesco Leandro Vieira traz o enredo “A verdade vos fará livre”, que apresentará a alegoria de um Jesus imaginário, longe de como o Filho de Deus é realmente apresentado nas Escrituras Sagradas.

Esse Cristo que o artista levará à Avenida será um ser político, menos ligado a seu significado religioso. Apesar disso, Leandro defende que o Salvador encontraria hoje um mundo com desafios parecidos com os de dois milênios atrás.

Já Maria Madalena estará representada numa ala exclusivamente masculina, com auréola, peruca roxa e manto de arco-íris. O carnavalesco afirma que o intuito é levantar o debate sobre a intolerância ligada a questões de gênero e sexualidade.

No enredo “Só com a ajuda do santo” de 2017, Leandro já tinha abordado a fé. Na época, levou à Sapucaí um tripé com um Cristo crucificado e Oxalá. A Mangueira foi quarta colocada, mas, a pedido da Arquidiocese do Rio, a imagem não retornou no Desfile das Campeãs.

Um novo impasse pode estar se desenhando.