Marcos Valério cita Lula como mandante do assassinato do prefeito Celso Daniel

O empresário Marcos Valério volta a assombrar os petistas. Desta vez, o operador do mensalão resolveu contar tudo o que viu, ouviu e fez durante uma ação deflagrada para blindar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o PT das investigações sobre o assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel, executado a tiros depois de um misterioso sequestro, em 2002.



A revista Veja disse ter tido acesso a um depoimento ao Ministério Público de São Paulo, prestado no Departamento de Investigação de Homicídios de Minas Gerais, no qual Marcos Valério declarou que Lula e outros petistas graduados foram chantageados por um empresário de Santo André que ameaçava implicá-los na morte de Celso Daniel. Mais: disse ter ouvido desse empresário que o ex-presidente foi o mandante do assassinato.



No depoimento ao MP, também gravado em vídeo, Valério repetiu uma história que contou em 2018 ao então juiz Sergio Moro, envolvendo na trama praticamente todo o alto-comando petista — só que agora com mais detalhes e com Lula como personagem principal.



Até hoje, a morte do prefeito é vista como um crime comum, sem motivação política, conforme conclusão da Polícia Civil. Apesar disso, o promotor Roberto Wider Filho, por considerar graves as informações colhidas, encaminhou o depoimento de Valério ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público, que o anexou a uma investigação sigilosa que está em curso.