Lei vai estimular doação de sangue em universidades do Rio de Janeiro O governador Wilson Witzel sancionou, nesta quinta-feira (24), a lei que cria o selo "Sangue Bom", que estimula o trote solidário com doação de sangue em universidades. A assinatura foi feita no Hemorio com a presença dos secretários de Saúde, Edmar Santos, da Casa Civil e Governança, André Moura, e do diretor do hemocentro, Luiz Amorim.

De acordo com a nova lei, o selo poderá ser utilizado para fins de identificação das instituições com a boa causa da doação de sangue e pode constar nos produtos e embalagens das universidades.

"Para que essas instituições ganhem o selo, devem organizar campanhas de doação anual ou semestral, em parceria com o Hemorio ou outra unidade de doação de sangue. O estudante que doar terá sua falta abonada", explicou o governador.

Com o estímulo, o Hemorio espera ampliar seu estoque, que hoje recebe cerca de 250 doações por dia. Este ano, foram coletadas 64 mil bolsas de sangue.

Quem pode doar sangue
Para doar sangue, é preciso ter entre 16 e 69 anos, pesar no mínimo 50 kg, estar bem de saúde e portar um documento de identidade oficial com foto. Jovens com 16 e 17 anos só podem doar sangue com autorização dos pais ou responsáveis legais.

Não é necessário estar em jejum, apenas evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação e não ingerir bebidas alcoólicas 12 horas antes. Os voluntários não podem ter tido hepatite após os 10 anos, nem estar expostas a doenças transmissíveis pelo sangue (sífilis, AIDS, hepatite e doenças de chagas). Mulheres grávidas ou amamentando e usuários de drogas não podem doar sangue.


*Governo do Rio de Janeiro