Suzane von Richthofen quer ser pastora Em um teste de funções psíquicas, Suzane von Richthofen é classificada como “vazia, infantilizada, manipuladora, desvalorizadora do ser humano, dissimulada e egocêntrica”. Mas ao que parece, a mulher que matou os próprios pais tem mostrado arrependimento. Segundo o pastor Euclides Vieira, Suzane pretende ser missionária e pastora.

Frequentemente, ela é beneficiada pela “saidinha” que garante aos presos de bom comportamento deixar a prisão durante sete dias em períodos de feriado. É nestes dias que Suzane tem ido aos cultos da Igreja do Evangelho Quadrangular Central, em São Paulo, onde é tratada como celebridade e chamada para tirar selfies com os fiéis.

Durante a saidinha do Dia das Mães, em maio, subiu ao púlpito e deu um testemunho de 30 minutos sobre arrependimento. Sem entrar em detalhes sobre o crime, contou que matou os próprios pais porque foi seduzida pelo Diabo.

Além da Quadrangular Central, ela costuma ir à Comunidade Moriá, uma igreja de Taubaté com presença nas penitenciárias de Tremembé.

A religiosidade de Richthofen só não convence a Justiça. Por enquanto, a assassina continuará cumprindo a pena de 39 anos.