Palavrão em música pode virar crime Um projeto de lei que tramita na Câmara Federal pretende "tipificar como crime qualquer estilo musical que contenha expressões pejorativas ou ofensivas", como músicas com palavrões, que mencionem uso ou tráfico de drogas e armas, críticas à polícia ou que estimulem pornografia, pedofilia e estupro. Se aprovada, a medida poderia afetar estilos musicais variados.

Autor do texto, o deputado federal Charlles Evangelista (PSL-MG) justifica sua iniciativa pelo fato de, segundo ele, "haver um grande desrespeito à moral pública". Para ele, "a criminalização de estilos musicais nesse sentido seria uma forma de garantir a saúde mental das famílias e, principalmente, de crianças e adolescentes que ainda não têm o discernimento necessário".

O PL ainda está no início da tramitação, aguardando audiências públicas na Comissão de Cultura da Casa.

A banda de rock Titãs seria uma das mais prejudicadas, caso o projeto avance. O grupo tem várias músicas recheadas de palavrões. Preocupado, seu líder Tony Belotto chamou o projeto de “ridículo”.

“É ridículo demais, porque fere a liberdade de expressão básica. Não acho que esse projeto vá em frente, é uma completa maluquice. Esse país virou uma ditadura? Ou seria uma distopia de terror?”, criticou.