Acusado da morte de pastor foi beneficiado por liminar de Fachin Wanderson Leonardo Pires Machado, de 18 anos, preso na quarta-feira (16) acusado da morte do pastor Nelsinei Badini Alvim, de 47 anos, durante assalto assalto em São Gonçalo , na Região Metropolitana do Rio, cumpria medida de internação domiciliar, por ato praticado antes de completar a maior idade. Ele é o segundo caso que se tem notícia de jovem beneficiado pela liminar do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, que em 28 de maio passado determinou a libertação de todos adolescentes internados em unidades de socioeducação que estivessem acima de 119% de ocupação de sua capacidade.

Wanderson havia sido apreendido em março passado, junto com dois adultos praticando assaltos em um carro roubado em São Gonçalo. Foi condenado a uma medida de internação em unidade de socioeducação, mas acabou beneficiado pela liminar e foi entregue pelo Degase ao responsável em 27 de julho, para cumprimento de internação domiciliar.

A liminar foi concedida em ação de Habeas Corpus, movida pela Defensoria Pública do Espírito Santo e estendida a outros quatro estados. No Rio, 618 jovens foram beneficiados.

Há um mês, em 18 de setembro, um adolescente , de 15 anos, também beneficiado pela liminar do ministro, matou a facadas o cabo reformado da Polícia Militar Silvio Moreira da Silva , de 53 anos.

O policial reagiu a um assalto que acontecia no ônibus em que estava, no Rocha, Zona Norte do Rio e foi atacado pelas costas. Na fuga, o adolescente de 15 anos e Maicon Regheti Pinto da Silva, de 22 anos, sequestraram um taxista, mas acabaram detidos por policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Jacarezinho.