Zoológico de Paris produz ser com mais de 700 sexos "Blob" este é o apelido do ser vivo unicelular apresentado esta semana por um Zoológico de Paris. Amarelado e com aspecto de um fungo, ele age como um animal. Mesmo não tendo boca, estômago e olhos, este novo ser consegue detectar e digerir os alimentos. Blob ainda tem cerca de 720 sexos, pode se mover sem pernas ou asas e, caso seja partido ao meio, consegue se curar em apenas dois minutos. Há gente que diz ser a reprodução do "Demogorgon", personagem da série Stranger Things. Mas o apelido deste ser é inspirado em outra ficção.

“O Blob é um ser vivo que representa um dos muitos mistérios da natureza. Ficamos surpresos porque ele não possui cérebro, mas tem a capacidade de aprender. Se você aproximar dois Blobs, o que aprendeu consegue transmitir o seu conhecimento para o outro”, disse Bruno David, diretor do Museu de História Natural de Paris, parceiro do Zoológico onde, no sábado, a nova descoberta será exposta ao público.

O nome foi dado em homenagem ao filme de ficção científica "The Blob", de 1958, onde uma forma de vida alienígena (a Blob), consome tudo o que há em seu caminho em uma pequena cidade da Pensilvânia.

“Temos certeza que não é uma planta, mas ainda não sabemos se é um fungo ou um animal. Ele tem um comportamento surpreendente para algo que se parece com um cogumelo”, disse David.