Pastor é preso após convocar marcha pela liberdade da Venezuela O pastor José Albeiro Vivas, que também é um dos principais militares ativos da aviação venezuelana, acabou preso. Como coordenador da Marcha para Jesus, um evento que ocorre há 13 anos, sempre no dia 12 de outubro nas principais cidades da Venezuela, ele era responsável por ler as palavras de convite dessa atividade religiosa, que este ano foi declarar a liberdade espiritual da Venezuela. Bem, foi o suficiente para o promotor militar Luis Osorio ordenar que ele fosse preso.

Assim, como oficiais da Direção Geral de Contra-Inteligência Militar (Dgcim), sob o comando do comissário Kassen Perez e com o mandado de prisão nº 792-19, o pastor e os militares foram presos precisamente quando a marcha estava prestes a começar no município de Barinas, com o mesmo nome.

O oficial enfrenta a investigação por crimes de uso indevido de decoração, distintivos, títulos militares e desobediência. Ele foi levado para a sede da delegacia local. Oficiais do governo divulgaram o que o pastor disse no vídeo pelo qual foi preso:

"Pela palavra de Deus: para que todos sejam um como você. Oh, pai em mim e eu em você! Que eles também sejam um em nós, para que o mundo acredite que você me enviou. Esse é o maior desejo de meu Senhor Jesus Cristo e, neste dia 12 de outubro, todos vamos juntos adorar a Deus; Adoração pública ao rei dos reis e senhor dos senhores, marcha para Jesus, Barinas 2019, parque da Federação, 11 da manhã. Convido todo o povo cristão. Sei que Deus está fazendo grandes coisas em Barinas e na Venezuela e o lema deste ano é: Venezuela, chegou sua hora de liberdade. Chegou a hora da liberdade. E quem escolher a liberdade será verdadeiramente livre. Deus te abençoe. Obrigado. "

Foi o suficiente para acreditar que ele estava se referindo a estar livre de Nicolás Maduro e do governo de plantão.

O major há muito tempo é cristão, prega e participa de eventos em sua igreja. Em suas funções de pastor, esteve presente na II Reunião de Intercessores representando o estado de Barinas. No final do dia da reunião, ele subiu com um grupo de intercessores ao imponente pico de El Águila, no estado de Mérida, e fez um clamor pela Venezuela.

Ele também apareceu no XX Encontro Nacional de Copleros em Barinas, onde fez uma oração a favor da Venezuela, também aparecendo no clamor a Deus com o Rev. Jorge Raskkie.

A Constituição da República Bolivariana da Venezuela, no artigo 59, contempla a liberdade de culto: “O Estado garantirá a liberdade de religião e de culto. Todos têm o direito de professar sua fé e cultos religiosos e expressar suas crenças em privado ou em público, por meio de ensino ou outras práticas, desde que não se oponham à moralidade, aos bons costumes e à ordem pública. Também garante a independência e autonomia de igrejas e confissões religiosas, sem outras limitações além daquelas derivadas desta Constituição e da lei. ”

O oficial José Albeiro Vivas tem o direito perfeito de usar o uniforme porque é militar ativo.