Sonambulismo pode ter causado queda de uma menina do 9º andar de um prédio

A menina de 10 anos que caiu na madrugada deste domingo (13) do 9º andar de um prédio na Rua Maria Manoela Braz, no bairro Heliópolis, na Região Norte de Belo Horizonte, estava inconsciente quando foi socorrida pelo Samu e apresentava fraturas. Segundo o pai da vítima, a criança foi submetida a uma cirurgia na perna e outra para reconstruir o braço e o queixo no mesmo dia. A família acredita em sonambulismo.



A criança está internada no Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, na capital mineira, que é referência estadual no atendimento de politraumatismos.



De acordo com o pai, Wallace, a filha está consciente e chegou até a pedir um abraço. Ele negou que a criança tenha sofrido lesão na coluna. Ainda segundo Wallace, a família acredita que seja um caso de sonambulismo, porque ela já tem um histórico deste comportamento.



Os vizinhos que moram no 1º andar do prédio e cujo apartamento tem uma área privativa, ouviram um barulho alto enquanto dormiam e encontraram a criança caída e o telhado quebrado.



Ainda segundo o boletim de ocorrência, a criança estava na casa de um casal de primos, onde passaria o feriado. Eles contaram à polícia que já estavam deitados, a menina em outro quarto, quando ouviram um barulho muito alto.



Eles se levantaram e não viram a criança no apartamento. Da janela da sala de estar viram o telhado quebrado e a criança na área privativa do 1º andar.



Por nota, a Polícia Civil informou que já realizou os trabalhos iniciais de investigação e que a perícia esteve no local. O laudo deve ficar pronto em 30 dias, podendo ser prorrogado por mais 30.



Sonambulismo

Segundo a medicina do sono, o sonambulismo é um tipo de parassonia,  comportamento episódico, não desejável ou desagradável que ocorre no início do sono, durante o sono ou no despertar. Pode ocorrer nos momentos de transição do sono e vigília.



Há momentos em que não se está totalmente acordado nem totalmente dormindo. Neste momento observa-se elementos de sono e vigília mesclados (como por exemplo  no sonambulismo, onde a pessoa anda – que é um evento de vigília – enquanto o cérebro ainda tem as reações de sono).



Há vários fatores que podem influenciar as parassonias. A idade é importante, uma vez que os distúrbios do despertar e a enurese noturna predominam na infância e muitas vezes desaparecem na adolescência. Há também transtorno comportamental do sono mais frequente em idosos. A privação de sono, eventos que interrompam o sono (como por exemplo apneia) e um dia mais agitado parecem aumentar a complexidade e frequência de parassonias, como o sonambulismo.