Carteira de Trabalho Digital não anula modelo antigo O governo federal lançou a carteira de trabalho digital, mas recomenda que o trabalhador guarde a carteira de papel como forma de comprovação de vínculos empregatícios.

Os trabalhadores podem habilitar o documento pela internet, e, para as empresas que usam o eSocial, o registro de informações passa a ser feito digitalmente. No eSocial, as informações relativas aos trabalhadores, como vínculos, contribuições previdenciárias, folha de pagamento, comunicações de acidente de trabalho, aviso prévio e informações sobre o FGTS são comunicadas ao governo de forma unificada.

De acordo com a Secretaria Especial de Trabalho, é importante que, caso o trabalhador encontre alguma divergência na carteira digital, comunique a necessidade de correção imediatamente. Para isso, ele terá que usar os dados que estão na carteira de trabalho de papel.

A carteira de papel continua valendo normalmente, pois ela poderá ser necessária também no momento de comprovar o tempo de serviço. Além disso, se o trabalhador for contratado por um empregador que não usa o eSocial, ainda vai precisar da versão de papel da carteira.

De acordo com o Ministério da Economia, ao ser contratado, o novo empregado não precisará mais apresentar a carteira em papel. Bastará informar o número do CPF ao empregador e o registro será realizado diretamente de forma digital. Com a habilitação da carteira digital, todas as informações sobre a contratação do trabalhador passarão a ser lançadas no documento digital.

O trabalhador poderá acompanhar todas as anotações pelo aplicativo Carteira de Trabalho Digital (CTPS Digital) ou pelo site www.gov.br/trabalho.