Publicidade

Trump visita igreja e recebe oração

O presidente dos EUA Donald Trump fez uma breve visita não anunciada à Igreja Bíblica McLean no domingo (02) manhã e recebeu a oração do pastor David Platt.





“Oh Deus, nós te louvamos como o único rei universal acima de tudo”, Platt orou com uma mão segurando uma Bíblia aberta e a outra nas costas de Trump. “Você é nosso líder e nosso senhor e nós te adoramos. Há um Deus e um salvador e é você. Seu nome é Jesus e nós exaltamos você, Jesus.



Após declarar a soberania de Deus, o pastor intercedeu por Trump:

“E nós sabemos que precisamos da sua misericórdia. Precisamos da sua graça. Precisamos da sua ajuda, da sua sabedoria sobre o nosso país. Oramos pela sua graça, sua misericórdia e sua sabedoria sobre o nosso presidente”.



Após a oração, o presidente Trump saiu sem fazer um discurso e apenas repetia “obrigado” enquanto descia do púlpito e acenava para o público que o aplaudia.



Domingo também foi o “Dia Especial de Oração para o Presidente”, liderado pelo evangelista Franklin Graham, mas os dois eventos pareciam não estar relacionados.



Segundo a Casa Branca, Trump foi à Igreja Bíblica McLean “para visitar o pastor e orar pelas vítimas e pela comunidade de Virginia Beach”.



Um homem armado matou 11 colegas de trabalho em Virginia Beach na sexta-feira (31). A McLean Bible fica a cerca de 200 milhas de Virginia Beach e o tiroteio não foi mencionado nas orações do pastor Platt.



Mais de 300 líderes cristãos assinaram uma declaração em apoio ao evento de oração liderado por Graham para Trump. Sábado (1º), Trump twittou que o evento de oração de Graham o ajudará a vencer.



Em uma entrevista ao The Christian Post publicada na sexta-feira (31), Graham argumentou que o Dia Especial de Oração não era um evento partidário. Graham também disse que o evento de oração estava ligado ao debate sobre se Trump deveria ser destituído. “Se os adversários políticos de Trump forem bem-sucedidos, isso pode levar a uma guerra civil”, disse Graham.