Publicidade

Trabalhadores de áreas do Rio mais afetadas por temporal de abril poderão sacar o FGTS O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, assinou acordo com a Caixa Econômica Federal que permitirá aos trabalhadores residentes nas regiões mais afetadas pelas chuvas de abril, as mais fortes registradas na cidade em 22 anos, sacar recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O estado de calamidade pública decretado pela prefeitura do Rio e reconhecido pela União possibilitou a liberação dos recursos.
Ao todo, são 53 mil contas de moradores desses locais que têm saldos do FGTS na Caixa Econômica, o equivalente a R$ 35 milhões. Com o acordo, quem teve perdas nas chuvas de abril poderá sacar o Fundo de Garantia. Quem perdeu tudo e não está no grupo precisa procurar o superintendente da Caixa da região onde mora. “É um esforço que estamos fazendo para ajudar as pessoas que sofreram com a chuva no Rio de Janeiro”, disse Crivella.

A Caixa inicia segunda-feira (3) o atendimento para a liberação do saque do FGTS, que poderá ser feito até 29 de julho. Por lei, o limite permitido para liberação é de R$ 6.220,00 por conta vinculada. O intervalo entre uma movimentação e outra pelo mesmo motivo de saque (calamidade pública) não pode ser inferior a 12 meses.

Os trabalhadores residentes nas áreas atingidas pelo desastre deverão ligar para o telefone 0800-726-0207, opção 4 e, em seguida, opção 3, para habilitar o saque de sua conta vinculada e autorizar o débito automático.

Somente os trabalhadores que comprovarem residência na área afetada e que não tiverem sua pré-habilitação ao saque confirmada pelo serviço de teleatendimento da Caixa, precisarão comparecer em uma das 159 agências do Município do Rio de Janeiro para solicitar o saque. Neste caso, deverá ser observado o calendário de atendimento que considera a data de nascimento do trabalhador.