Mãe rouba a cena na premiação da Fifa

A premiação do Fifa The Best, nesta segunda-feira (23), em Milão, na Itália, teve Messi como o grande vencedor da categoria melhor jogador do mundo. E  os brasileiros Alisson (melhor goleiro) e Marcelo (melhor lateral).



Mas o brilho da cerimônia não seria o mesmo, não fosse a palmeirense Silvia Grecco, que venceu o prêmio Torcedor do Ano. A brasileira foi reconhecida por narrar os jogos, especialmente do Palmeiras, para o filho adotivo, Nickollas, que tem 12 anos e é cego e autista.



Nickolllas nasceu prematuro, aos 5 meses e pesando 500 gramas, e foi adotado aos quatro meses. Devido à deficiência visual, o menino teve a adoção recusada por 12 famílias, antes de Silvia conhece-lo.



“Eu gostaria de compartilhar esse prêmio com o senhor Justo Sanchez, que também tem uma linda história de amor com o filho dele. Sinta-se também homenageado”, disse Silvia.



Silvia era apenas uma entre centenas de torcedores em uma arquibancada. Mas seu gesto chamou a atenção do jornalista Marco Aurélio Souza, que como ela disse em seus discurso, os “enxergou com os olhos e o coração”.



A história de Silvia e Nickolllas ganhou o mundo e ela teve a oportunidade de defender a causa dos deficiente físicos para uma plateia internacional, formada por grandes atletas como Lionel Messi e Cristiano Ronaldo e todos os amantes do futebol.



“Agradeço à Fifa por essa indicação e por hoje falar para o mundo do futebol que a pessoa com deficiência existe, precisa ser amada, respeitada e incluída”, disse Silvia.

Nas redes sociais, Fatma Samoura, secretária-geral da Fifa, elogiou o discurso da mãe de Nickollas:



“Silvia, suas palavras tocaram os nossos corações quando você dedicou o prêmio para todos os fãs com deficiência.”