Flordelis diz ter sofrido extorsão

A reconstituição do assassinato do pastor Anderson do Carmo, realizada no sábado (21), durou mais de 5 horas e teve as participações de Flordelis e de 12 filhos do casal. Flávio e Lucas, que estão presos, se recusaram a participar. A delegada Bárbara Lomba, responsável pelo caso, disse ter encontrado contradições durante a reconstituição. Neste domingo (22), em um programa de TV, Flordelis apresentou um áudio com uma possível tentativa de extorsão. E também uma carta, que seria do filho Lucas, acusando um outro filho de Flordelis, o vereador Misael, de ser o mandante do crime. Misael rompeu com a mãe após a morte do pai. A polícia disse que não foi comunicado sobre os fatos.



A declaração da parlamentar, pastora e cantora foi dada ao programa Fantástico, da TV Globo. Flordelis declarou ter recebido ameças e uma tentativa de extorsão por conta das investigações pelo homicídio de seu marido, o pastor Anderson do Carmo, ocorrido em junho. A deputada acusa um advogado e um policial, ambos não identificados, pelas práticas.  



Ao programa, Flordelis diz que entregou à Polícia Federal gravações que comprovam ameaças vindas de um ex-advogado de Lucas. Nos áudios, o homem afirma estar “segurando algumas coisas como a colaboração premiada”.



A deputada contou ainda ter recebido ligações dirigidas a seu gabinete na Câmara dos Deputados, vindas de um policial civil da Delegacia de Homicídios da cidade do Rio de Janeiro. Em uma suposta tentativa de extorsão, o agente teria dito que o mandato de Flordelis “estava ameaçado”.



A Delegacia de Homicídios de Niterói pretende investigar os telefonemas em inquérito sigiloso.