Enquanto 50 milhões de pessoas vivem na pobreza, celebridades investem em looks da Balenciaga Famosos que muitas vezes você vê na TV ou nas redes sociais defendendo o combate à fome ou a igualdade social também são capazes de gastar R$ 9 mil em uma bolsa que parece um saco de lixo, lançada recentemente pela grife Balenciaga.

Em um país como o Brasil, onde quase 50 milhões de pessoas vivem na pobreza extrema, celebridades como Bruna Marquezine, Marina Ruy Barbosa e Gisele Bündchen ostentam nas colunas sociais roupas e acessórios.

A marca, que já ocupou o topo da lista das mais desejadas no início do ano, aparece em segundo lugar nas preferidas dos consumidores entre abril e junho de 2022. A Balenciaga só perde para a Gucci, que foi eleita recentemente a marca mais valiosa da Itália, com um valor estimado em US$ 37,9 bilhões (R$ 184,7 bilhões).

Para as famosas brasileiras, dinheiro não é o problema. Em março, Bruna Marquezine elegeu um look da Balenciaga avaliado em R$ 21,2 mil – calça de R$ 8,825 mil e jaqueta de R$ 12,375 mil, para o encerramento do festival de música Lollapalooza Brasil, em São Paulo.

Já a modelo brasileira mais famosa de todos os tempos, antes de anunciar a aposentadoria, estrelou uma das famosas campanhas da Balenciaga, no inverno de 2015.

Marketing
Ousadia parece ser a estratégia da Balenciaga para estar no topo das marcas mais famosas. Antes de lançcar uma bolsa inspirada em um saco de lixo, a grife vendeu um tênis totalmente destruído.

Agora, as celebs podem escolher seu “saco de lixo” preto, azul, branco ou vermelho.

A peça está disponível no site da marca, que leva o nome de "Trash Pouch" (tradução livre: saco de lixo).

Para quem quiser adquirir o item, basta desembolsar US$ 1.790 ou R$ 9.280. O diretor criativo da marca, Demna Gvasalia, falou sobre o assunto após a repercussão.

"Não podia perder a oportunidade de fazer o saco de lixo mais caro do mundo, porque quem não gosta de um escândalo de moda?", disse.