Problemas de saúde podem levar Papa Francisco a se aposentar antes da hora O Papa Francisco disse que sua idade avançada e dificuldade de andar iniciaram uma nova fase mais lenta de seu papado. O líder da Igreja Católica disse que estaria pronto para renunciar um dia se sérios problemas de saúde o impedissem de continuar.

"Acho que não posso continuar fazendo viagens com o mesmo ritmo de antes", disse Francisco, de 85 anos, a bordo do avião que retornou a Roma de uma viagem de uma semana no Canadá.

O pontífice visitou o Canadá para pedir desculpas pelo papel da Igreja Católica nas escolas onde crianças indígenas foram abusadas.

Nos últimos meses, ele tem usado uma cadeira de rodas, bengala ou andador por causa de dores no joelho causadas por uma fratura e ligamento inflamado.

"Acho que na minha idade e com essa limitação tenho que me preservar um pouco para poder servir a Igreja, ou decidir me afastar", disse Francisco.

Ele já disse que poderia seguir os passos do Papa Bento, que em 2013 se tornou o primeiro papa em 600 anos a renunciar em vez de governar para sempre.

"Não é estranho. Não é uma catástrofe. Você pode mudar o Papa", disse ele.

Durante sua viagem ao Canadá, o papa vestiu um cocar de penas indígenas antes de dizer que a assimilação forçada dos povos nativos na sociedade cristã destruiu suas culturas e cortou suas famílias.

Ele pediu desculpas pelo apoio cristão à "mentalidade colonizadora" da época" e acrescentou: "Com vergonha e inequivocamente, peço humildemente perdão pelo mal cometido por tantos cristãos contra os povos indígenas".

Mais de 150.000 crianças nativas no Canadá foram forçadas a frequentar escolas cristãs financiadas pelo Estado do século XIX até a década de 1970, em um esforço para isolá-las da influência de suas casas e culturas em um esforço para "cristianizar" e assimilá-las na sociedade convencional.