Atirador mata duas pessoas durante madrugada no Canadá e acaba morto pela polícia Um atirador que vagava por horas por um subúrbio de Vancouver, no Canadá, atirou em quatro pessoas na segunda-feira (25), duas delas fatalmente, enquanto abria fogo em um cassino, um centro para desabrigados e outros locais antes de ser morto pela polícia, disseram as autoridades.

Os ataques começaram nas primeiras horas na comunidade de Langley e continuaram até o amanhecer, de acordo com as autoridades, que inicialmente sugeriram que os tiros tinham como alvo pessoas sem-teto.

O primeiro tiroteio ocorreu à meia-noite no cassino, com mais tiroteios às 3h, 5h e 5h45 — inclusive em um complexo residencial que fornece apoio para pessoas que estão em transição por falta de moradia. As outras cenas de tiroteio foram um ponto de ônibus e uma rodovia, segundo a polícia.

A polícia enviou um alerta de celular aos moradores às 6h20, dizendo que estavam no local de vários tiroteios "envolvendo vítimas transitórias", descrevendo o atirador e pedindo às pessoas que "por favor permaneçam alertas e fora da área".

Mas o atirador já estava morto. O sargento David Lee, porta-voz dos investigadores de homicídios, disse mais tarde aos repórteres que ainda não estava claro se as vítimas eram sem-teto.

A Polícia Montada Real Canadense disse que uma equipe de emergência confrontou o suspeito não muito longe de um desvio de estrada onde um homem foi encontrado com um tiro na perna.

Foi quando policiais atiraram fatalmente no atirador, disse Ghalib Bhayani, superintendente da polícia montada.

Mais tarde, a polícia identificou o atirador como Jordan Daniel Goggin, 28 anos, de Surrey, Colúmbia Britânica. Estão investigando o motivo.

Tiroteios em massa são menos comuns no Canadá do que nos Estados Unidos. O ataque com armas mais letal na história canadense aconteceu em 2020, quando um homem disfarçado de policial atirou em pessoas em suas casas e ateou fogo em toda a província da Nova Escócia, matando 22 pessoas.

O país revisou suas leis de controle de armas depois que um agressor matou 14 mulheres e a si mesmo em 1989 na faculdade Ecole Polytechnique de Montreal.

Agora é ilegal possuir uma arma não registrada ou qualquer tipo de arma de fogo rápido no Canadá. Para comprar uma arma, o país também requer treinamento, avaliação de risco pessoal, duas referências, notificação conjugal e verificação de antecedentes criminais.



*Imagem meramente ilustrativa