Rio participa do Dia Mundial da Limpeza

No Dia Mundial da Limpeza, celebrado neste sábado, 21 de setembro, o Rio de Janeiro se juntará a mais de 800 cidades brasileiras e outros 160 países para participar desta mobilização que tem como objetivo propagar a conscientização quanto ao impacto da geração e descarte de lixos em locais inapropriados e a necessidade de mudança de hábitos.



No Rio de Janeiro, o bairro que concentrará a principal ação é o Leme. Das 8h às13h, na Praça Almirante Júlio de Noronha, acontecerão simultaneamente oficinas de plantio, reciclagem, atividades esportivas e entretenimento cultural, em uma estrutura montada com em torno de 10 tendas sob a organização do Sesc Copacabana e em parceria com a Comlurb.



Os interessados em participar da ação podem se cadastrar diretamente pelo site do Instituto Limpa Brasil pelo link – https://www.limpabrasil.org. A edição 2019 ainda terá um incentivo aos participantes que concorrerão ao sorteio de um carro 0km doado pela Gooders, startup de engajamento social que oferece recompensas e fomenta negócios de impacto.



Cerca de 1.200 municípios brasileiros aderiram à iniciativa neste ano. O número é praticamente o triplo da primeira edição, quando a ação foi realizada em 363 cidades do país. Em 2018, 200 mil voluntários foram engajados na atividade que retirou 2 mil toneladas de resíduos de praias, rios, praças, parques, avenidas, ruas e terrenos.



Edilainne Muniz, coordenadora do Limpa Brasil, enfatiza que sair às ruas e limpar nossas cidades é um exercício prático de cidadania. 



“Mais do que isso podemos verdadeiramente entender melhor nosso papel quanto ao cuidado e a preservação do meio ambiente.”



O projeto coletivo começou na Estônia, no ano de 2008. Na época, 50 mil pessoas se reuniram para limpar o lixo despejado ilegalmente em terrenos baldios do país inteiro em apenas cinco horas. Esta ação cívica, que reduziu o problema daquele país em 75%, foi realizada por voluntários e os organizadores nomearam de “Let’s Do It!” (Vamos fazer isso! em português). O sucesso da ação no país do leste europeu se espalhou pelo mundo e, hoje, são mais de 158 países que organizam limpezas baseadas no mesmo modelo.