Ferido no no Complexo do Alemão é suspeito de participação em roubo à joalheria na Barra

A sexta-feira (22) começou com segurança reforçada nas principais vias da região do Complexo do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro. Ontem, 16 suspeitos foram mortos após criminosos matarem um policial militar da UPP da Fazendinha. Infelizmente, uma moradora foi atingida por uma bala perdida e também morreu.

Segundo a polícia civil, um dos feridos é Hideraldo Alves, de 27 anos. Ele teria participado do assalto a uma joalheria do shopping Village Mall, no mês passado. Além dele, mais três suspeitos seguem internados com ferimentos a bala.

Conhecido como “matador de policiais” no estado do Pará, Hideraldo foi ferido nas pernas, e deu entrada na UPA do Alemão, Zona Norte do Rio, se apresentando como Adriano Castro Pires. Após identificá-lo corretamente, foi constatado que havia um mandado de prisão em aberto. “Esquilo”, como é chamado, está sob custódia da Polícia Militar e será preso assim que receber alta. Ele também foi atuado em flagrante pelo uso de documento falso.

PM morto

O cabo da Polícia Militar Bruno de Paula Costa, de 38 anos, morto após um ataque de bandidos, estava na corporação há 8 anos.

Bruno estava de plantão na Unidade de Polícia Pacificadora – UPP/Nova Brasília, onde era lotado. Ele foi atingido no pescoço. O policial deixa mulher e dois filhos portadores de espectro de autismo.

O Portal dos Procurados, um programa do Disque Denúncia, divulgou um cartaz pedindo informações que auxiliem na apuração da morte do policial.

Também morreu na operação Letícia Marinho Sales, de 50 anos, que estava com o namorado em um carro que passava pela região.

Segundo Denilson Glória, companheiro da vítima, ele levava Letícia para casa de carro, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio, quando o veículo foi alvejado em um sinal de trânsito na rua Itararé.