China proíbe os 10 Mandamentos

Há anos é conhecida a campanha massiva do Partido Comunista Chinês para reprimir o cristianismo na China continental.



As grandes notícias da China em janeiro de 2019 não foram tarifas e guerras comerciais. O PCCh exigiu que o primeiro dos 10 Mandamentos fosse removido de todas as igrejas. Enquanto as igrejas domésticas estavam sendo fechadas, esperava-se que até as igrejas registradas cumprissem a ordem.



Agora, as autoridades exigiram que os 10 Mandamentos fossem removidos na íntegra de todas as igrejas cristãs, incluindo aquelas que haviam cooperado até esse momento. As igrejas foram instruídas a substituirem os mandamentos por citações e trechos dos discursos do Presidente Xi Jinping. Uma das citações aprovadas é,



“Os principais valores socialistas e a cultura chinesa ajudarão a imergir várias religiões da China. Apoie a comunidade religiosa na interpretação de pensamentos, doutrinas e ensinamentos religiosos de uma maneira que esteja de acordo com as necessidades do progresso dos tempos. Resolutamente, proteja-se da infiltração da ideologia ocidental e conscientemente resista à influência do pensamento extremista. ”



O Partido Comunista Chinês está vigiando igrejas (e casas, empresas e locais públicos), para garantir que o povo chinês cumpra seus mandatos em todos os aspectos de suas vidas.



De acordo com a Bitter Winter, uma revista sobre liberdade religiosa e direitos humanos na China, "algumas congregações foram ameaçadas de serem incluídas na lista negra pelo governo, o que significa que suas viagens serão restritas e a escolaridade e o emprego futuro de seus filhos serão impedidos se eles se recusarem a revisar suas igrejas de acordo com as políticas nacionais atuais”.