Corpo de Bombeiros interdita 22 ferros-velhos no Rio de Janeiro O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) fechou 22 ferros-velhos nesta sexta-feira (15), em ação conjunta com as Polícias Civil, Militar e Detran.RJ, para verificar se os estabelecimentos cumprem as normas e exigências previstas no Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico. Também foram emitidas 69 notificações. Os responsáveis legais têm prazos definidos pela lei para se regularizarem nos quesitos apontados, que variam desde inadequações com a documentação à falta de dispositivos de emergência.

- A fiscalização mobilizou militares de dez unidades, além de bombeiros da Diretoria Geral de Serviços Técnicos, na conferência das normas e exigências contra incêndio em mais de 100 ferros-velhos – disse o governador Cláudio Castro.

Dezessete equipes atuaram na capital e sete na Baixada Fluminense, que fiscalizaram 76 ferros-velhos na Cidade do Rio e outros 34 estabelecimentos em Duque de Caxias e Nova Iguaçu.

De acordo com o secretário de Estado de Defesa Civil e comandante-geral do CBMERJ, coronel Leandro Monteiro, a ação foi motivada pelas estatísticas de incêndios.

- Só no primeiro semestre de 2022 contabilizamos cerca de 340 incêndios em ferros-velhos. Em todo o ano de 2021, foram cerca de 460. Um índice que nos leva a iniciativas estratégicas e integradas como esta operação - reforçou o coronel Leandro Monteiro.

A operação

As equipes saíram do Quartel-Central do Corpo de Bombeiros de manhã, após a entrega dos envelopes com os locais de fiscalização, em direção aos quartéis locais para, em seguida, deslocarem-se em direção aos ferros-velhos.

Além da verificação das normas contra incêndio feita pelo Corpo de Bombeiros, a Polícia Civil fiscalizou a procedência dos materiais, a Polícia Militar garantiu a segurança da ação e o Detran.RJ verificou se peças de carros seriam provenientes de crime.

A Polícia Civil já tem combatido o roubo e o furto de equipamentos de concessionárias de serviço público comercializados em ferros-velhos. Nas operações Caminhos do Cobre e da Força-tarefa, mais de 350 toneladas de cobre e outros materiais foram apreendidas em mais de 150 ferros-velhos e recicladoras, o que provocou a prisão de 76 receptadores.

Foto: Ernesto Carriço / Divulgação