Pastor que seria abortado faz doação para ONG pró-vida O pastor Derwin Gray é filho de uma mãe solteira que aos 16 anos disse não ao aborto para lhe dar à luz, mesmo diante de dificuldades financeiras. O testemunho de vida do líder da Igreja da Transformação, nos Estados Unidos, o levou a reunir sua comunidade de fé para doar 50 mil dólares a um grupo que luta contra o aborto.

“Para aqueles que não sabem, minha mãe ficou grávida de mim aos 16 anos de idade, na Thomas Jefferson High School. Ela foi levada até uma enfermeira da escola que disse: ‘Você deveria ir para a Califórnia para abortar seu filho’”, contou o pastor.

A mãe do pastor, porém, disse: “Não vou abortar meu filho”. Essa decisão permitiu que ele vivesse e se tornasse um líder religioso respeitado que fez da sua vida uma causa em prol do Evangelho de Jesus Cristo, pró-vida e contra o aborto.

Com isso, o pastor Gray reuniu sua congregação para arrecadar 50 mil dólares, a fim de doar para o Centro de Enriquecimento da Mulher em Lancaster, uma organização que luta contra o aborto no país.

Oferecer condições para que ao invés de abortar, às mulheres possam amar os seus filhos, é o trabalho do Centro. Apoiar essa iniciativa moral e financeiramente também é um gesto de compaixão e compromisso com a vida, segundo o pastor Gray.