Anitta pede para Lula liberar maconha se for eleito e expõe famosos usando a droga “Será que o Lula apoia isso? Apoia isso aí pra nós. Estou te dando o maior apoião”. Este foi o apelo feito por Anitta ao candidato do PT à presidência da República durante uma live com o rapper Filipe Ret sobre a liberação da maconha.

A cantora, que esta semana declarou que votará em Lula, também surpreendeu seus seguidores nas redes sociais ao mostrar o cantor João Guilherme e o influenciador digital Léo Picon fumando maconha em um hotel na Espanha.

"Deixo eles fumarem, não deixo fumarem pra dentro porque fica um cheiro que eu tenho ódio, mas aqui fora pode", disse Anitta, especificando que fora do Brasil é permitido o uso da substância. O irmão de Jade Picon enfatizou, inclusive, que não estava infringindo nenhuma lei.

"Aqui pode, aqui está legalizado. Eu e João, a gente está em Ibiza e estamos nessa pauta", disse Léo Picon. João Guilherme também comentou a situação sem o menor constrangimento. "A gente tá nessa pauta aqui da maconha em Ibiza".

De volta ao papo com Filipe Ret, Anitta afirmou que é a favor da legalização da maconha. Ela usou argumentos econômicos superficiais para embasar sua tese de que a legalização beneficiaria muitas vidas.

"Tinha que virar empresa que paga imposto, em vez de deixar esse povo todo rico aí, lavando dinheiro, sei lá como. Sou a favor de virar empresas legalizadas. Proibir as drogas não faz com que as pessoas parem de usar", apontou Anitta.

Talvez a cantora não saiba, mas a maconha é uma droga que pode provocar vários males à saúde. Fumar maconha ou inalar produtos à base de cannabis pode fazer mal ao coração, de acordo com uma declaração divulgada em 2020 pela American Heart Association, nos Estados Unidos. A associação sem fins lucrativos é formada por profissionais de saúde que se dedicam a estudos envolvendo a saúde cardiovascular.

De acordo com a CNN nos EUA, a entidade "recomenda que as pessoas não fumem ou vaporizem qualquer substância, incluindo produtos de maconha, devido aos possíveis danos ao coração, pulmões e vasos sanguíneos".

Alguns dos estudos analisados pelo grupo médico descobriram que alterações do ritmo cardíaco, como taquicardia e fibrilação atrial, podem ocorrer dentro de uma hora após o fumo de ervas contendo THC, ou tetra-hidrocanabinol, que é a substância psicoativa da maconha que dá "barato".

O tetra-hidrocanabinol também pode causar uma frequência cardíaca mais rápida, aumentar a necessidade de oxigênio do coração, desequilibrar as paredes das artérias e contribuir para aumentar a pressão sanguínea.

Adolescentes são 3,5 vezes mais propensos ao vício
Neste mês, pesquisadores do King’s College e da University College de Londres, no Reino Unido, divulgaram os resultados de um estudo com adolescentes e adultos em que identificaram um risco 3,5 vezes maior entre os mais jovens de desenvolver um vício no uso da maconha. Os cientistas acreditam que a faixa etária pode ser mais vulnerável por fatores como o cérebro ainda estar em formação e pelas mudanças na vida social características do período. Os resultados foram publicados na revista científica Journal of Psychopharmacology.

Para chegar à conclusão, foram incluídos 274 participantes no estudo, divididos em dois grupos: metade com idades de 16 e 17 anos e os demais entre 26 e 29 anos. Cada faixa etária também foi separada em dois perfis, em que parte fazia uso da substância e os outros, não – acompanhados para fins de comparação.