“Buzão do Bem” leva ações de cidadania a moradores de rua Oferecer serviços que promovem a dignidade à população é papel do poder público, conforme é de conhecimento de qualquer cidadão. No entanto, existem pessoas que preferem não só cobrar das autoridades, mas se envolver em ações possíveis que ajudam a melhorar a vida de alguém. É o caso dos envolvidos no projeto Buzão do Bem.

Todas as quartas-feiras um ônibus adaptado estaciona na Praça Tim Maia, no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste do Rio de Janeiro. O trabalho começa com uma roda de oração. O objetivo, levar dignidade e cidadania para grupos e indivíduos em situação de rua e em total vulnerabilidade e exclusão social em suas comunidades. Promovendo a justiça com inclusão e criando possibilidades para partirem para novos e melhores desafios da vida.
 
No espaço são oferecidos banho, higiene pessoal, alimentação saudável, orientação e assistência médica primária.

Em parceria com a prefeitura do Rio, o projeto também ajuda a providenciar documentos para a população de rua, criando um banco de dados com todas as informações e histórico de vida, promovendo a inclusão econômica e identificando as qualidades e habilidades de cada indivíduo.

O projeto sobrevive das doações de pessoas que se identificam com sua proposta e do envolvimento de voluntários, que já ouviram as mais diversas histórias de cidadãos que passaram a criar um lar sob marquises. São histórias de vida que passam por desemprego, dependência química, transtornos psiquiátricos, déficit habitacional, violência e transporte caro.

Segundo a Defensoria Pública, há 15 mil moradores de rua no Rio.