Policiais Civis que praticavam extorsões na Baixada Fluminense são alvos do MPRJ O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especializada de Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ), realiza, nesta quinta-feira (07), a Operação Inimigo Íntimo, com o apoio da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ). O objetivo é cumprir mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão em face de dois policiais civis, então lotados na 64ª DP (São João de Meriti), e um terceiro, acusados pelos crimes de associação criminosa armada e concussão. Os mandados foram expedidos pela 1ªVara Criminal de São João de Meriti.

Estão denunciados os policiais civis Ruben José de Souza Neto (vulgo 'Neto') e Carlos Alison Ramos da Silva ('Alison'), além de André Luis Avoglio Ramos (conhecido como 'André Chupeta'). As investigações que levaram à identificação do grupo criminoso, que atuou pelo menos até o dia 29 de junho de 2017, nos limites do Estado do Rio de Janeiro, e em especial no município de São João de Meriti, tiveram início após delação premiada realizada por denunciado em investigação anterior. Aponta o MPRJ que associação criminosa alvo da operação desta quinta utilizava armas de fogo para a consecução de seus objetivos.

Restou apurado que os três denunciados integravam equipe de policiais e informantes que, diante da notícia da prática de algum crime, realizavam operações e abordagens, mas, após a prática da extorsão e o recebimento de valores, não apresentavam a ocorrência em sede policial ou a apresentavam apenas parcialmente, para permitir o arbitramento de fiança pela autoridade policial. A investigação que embasou o oferecimento da denúncia foi conduzida pelo GAECO/MPRJ e pela extinta Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Estado.