PM presa pelo marido por matar a irmã demonstra arrependimento A policial militar Rhaillayne de Oliveira de Mello, de 23 anos, acusada de matar a tiros a irmã Rhayana de Oliveira, 22, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, foi levada para a Unidade Prisional da Polícia Militar (UP-PMERJ), no bairro do Fonseca, em Niterói, no fim desse sábado (2), onde ficará presa. Ela prestou depoimento por cerca de três horas na Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG), que investiga o crime.

Rhaillayne chegou a gritar dentro da sala demonstrando arrependimento: "quero minha irmã de volta".

Rhaillayne, lotada no 7º BPM (São Gonçalo), recebeu voz de prisão do próprio marido, o também PM Leonardo de Paiva Barbosa, logo após o crime. Ela vai responder por homicídio. O corpo de Rhayana foi levado ao Instituto Médico Legal (IML).

Briga e tiros
O crime ocorreu em um posto de combustíveis localizado no bairro Camarão, em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio, na manhã desse sábado.

As duas teriam saído de uma festa no bairro Barro Vermelho e pegaram um carro de aplicativo.

Segundo testemunhas, elas teriam saído de uma região próxima, onde há vários bares, e já estavam discutindo. As irmãs teriam ido ao posto para usar o banheiro onde continuaram a discussão. Funcionários do posto disseram ter ouvido vários tiros.

O posto de gasolina fica na Rua Francisco Portela, 2.538, para onde o Corpo de Bombeiros foi acionado por volta das 8h.