Presidente da Caixa pode perder o cargo após denúncias de abuso sexual

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Duarte Guimarães, 51 anos, está sendo acusado de assediar sexualmente funcionárias do banco. As denúncias foram feitas pelas supostas vítimas ao portal 'Metrópoles'. O caso está sendo investigado sob sigilo pelo Ministério Público Federal (MPF). Em nota, a instituição nega ter conhecimento do caso e diz ter vários mecanismos internos de controle.

De acordo com a reportagem, um grupo de funcionárias decidiu romper o silêncio e denunciar as situações pelas quais passaram. Entre os supostos abusos estão toques íntimos não autorizados e abordagens e convites inadequados à relação de trabalho.

Pedro Guimarães não aceitou falar sobre o caso até o momento. Já a Caixa disse em nota que não tem conhecimento das denúncias.

Ele é genro de Léo Pinheiro, da empreiteira OAS. Pinheiro foi o delator do "caso triplex", que levou à condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Em Brasília, assessores do presidente Jair Bolsonaro acreditam que a melhor solução seja afastar imediatamente Pedro Guimarães da Caixa.

O vice-presidente Hamilton Mourão cobrou a apuração das denúncias. “Que seja apurado a veracidade”, disse Mourão ao Metrópoles, ponderando que não comentaria o teor das denúncias revelados pelo portal nessa terça-feira (28).