Mortos em caminhão nos EUA podem ter sido vítimas de tráfico humano Autoridades do sul do estado americano do Texas, nos Estados Unidos, encontraram 46 migrantes mortos dentro de um caminhão trator-reboque na segunda-feira (28).

Bombeiros que atenderam a ocorrência disseram que outras 16 pessoas foram levadas ao hospital para tratamento de lesões relacionadas ao calor, incluindo quatro crianças.

O caminhão foi encontrado ao lado de trilhos de trem em uma área remota na periferia sul de San Antonio. As altas temperaturas na cidade ultrapassaram os 39ºC nessa segunda-feira com alta umidade.

A polícia de San Antonio disse que ainda não podia dizer a origem das vítimas. As autoridades federais estão encarregadas da investigação.

O ministro das Relações Exteriores do México, Marcelo Ebrard, tuitou que, segundo o cônsul mexicano que foi à área, havia dois guatemaltecos entre os levados para o hospital.

Ebrard disse que o caminhão tinha placas americanas, e que o incidente era muito provável ter sido fruto de trabalho de traficantes humanos.

O prefeito de San Antonio, Ron Nirenberg, chamou a situação de "nada menos que uma terrível tragédia humana".

"É trágico", disse Nirenberg a repórteres. "Há, que sabemos, 46 indivíduos que não estão mais conosco que tinham famílias, que provavelmente estavam tentando encontrar uma vida melhor."

Em 2017, 10 migrantes morreram após ficarem presos em um trator-reboque que a polícia de San Antonio descobriu em um estacionamento do Walmart. O motorista do caminhão foi condenado à prisão perpétua por seu papel na operação de contrabando.