De mafioso a pastor

A “Yakuza”, a máfia japonesa, é um dos nomes mais temidos no crime internacional. Atualmente, a Yakuza “emprega” mais de 100 mil pessoas, o que a torna uma das maiores organizações criminosas conhecidas no mundo inteiro. Após a Segunda Guerra Mundial, o total de membros chegou a impressionantes 184 mil, o que representa mais da metade da força policial japonesa, que em 2010 contava com 291.475 homens. Mas um jovem já deu as costas para a Yakuza e hoje serve a Cristo. Jonathan Hayashi se converteu ao Evangelho de Jesus aos 16 anos e agora é pastor.



Antes de conhecer o Evangelho de Jesus Cristo, Hayashi viveu longos anos da sua vida em Tóquio, no Japão. Descendente de japoneses, apesar de ter nascido nos Estados Unidos, o agora ex-membro da Yakuza cresceu na Terra do Sol Nascente.



Com apenas 15 anos, Hayashi já possuía uma condenação por crime e uma prisão. Ele contou que odiava a Deus e tudo o que era relacionado ao Senhor, porque foi assim que aprendeu com os seus pais.



“Eu amei as coisas que Deus odiava e odiava as coisas que Deus amava”, disse ele. “Mas no fundo do meu coração, eu sabia que tinha que haver mais na vida do que sexo, poder e dinheiro”.



A transformação de Hayashi começou após a conversão da sua mãe, que fez um curso de inglês no Japão e tomou conhecimento do Evangelho através dos missionários no país. Sua mãe fez o possível para retirar o filho da Yakuza, sabendo que apenas Deus poderia lhe ajudar.



Quando saiu da prisão, a mãe de Hayashi conseguiu para ele uma vaga em um centro missionário em Tóquio, liderado pelo pastor Kawamata, o homem responsável por falar de Jesus ao jovem membro da Yakuza.



“Comecei a chorar pela primeira vez na minha vida”, disse Hayashi, segundo informações do Baptist Press. “Então, naquela noite, aos 16 anos, decidi confessar Jesus Cristo como Senhor, para a glória de Deus Pai”.



Hayashi se tornou um pastor focado no ministério de louvor. A música é a sua principal ferramenta para comunicar o Evangelho de Cristo. Ele também escreveu um livro de discipulado chamado “Radicais comuns” e está concluindo o seu doutorado em educação no Southern Baptist Theological Seminary.