Documentário da BBC revela casos de abusos sexuais na ONU

Por mais de 70 anos, a ONU está na dianteira da defesa dos direitos humanos e da promoção da paz global. Mas agora, a organização criada para resolver os problemas globais se vê diante de alegações de má conduta. A BBC produziu um documentário com denúncias graves contra a ONU.

Mulheres ouvidas pela centenária rede de rádio e TV do Reino Unido disseram haver uma cultura de proteção a homens nos mais altos escalões da organização. Outra mulher diz ter sido vítima de estupro por um soldado enviado para proteger o seu país.

O documentário “The Whistlebowers: Inside the UN” apresenta relatos de funcionários que tentaram apresentar denúncias, mas foram penalizados depois de se manifestarem — e alguns foram demitidos. A BBC relata que muitos integrantes do alto escalão da ONU têm imunidade, então só podem ser interrogados ou detidos se a entidade suspender essa proteção.

O gabinete do secretário-geral da ONU, António Guterres (foto), diz que continua comprometido em "punir qualquer funcionário, júnior ou sênior, que tenha se envolvido em assédio sexual".

A ex-porta-voz sobre assédio sexual da organização, Purna Sem, afirmou que gostaria que Guterres nomeasse um painel externo diversificado para levar em consideração as experiências dos funcionários e recomendar um conjunto focado de ações.

Ao programa Newsnight, da BBC, ela afirmou que não está surpresa com os testemunhos "profundamente perturbadores".

"Isso indica que, às vezes, a proteção do pessoal sênior dentro de cada organização importa mais do que a ausência de danos àqueles que não são poderosos."