Lula enfrenta gritos de manifestante e constrangimento de Suplicy Apesar de pesquisas apontarem o ex-presidente Lula como preferido na corrida pelas Eleições 2022, a realidade mostra um cenário bastante desafiador para o petista. Durante  o lançamento do esboço do plano de governo da chapa do PT com outras siglas, no Centro de São Paulo, realizado na terça-feira (21), Lula foi interrompido por um antigo aliado, Eduardo Suplicy. O ex-senador reclamou porque não foi convidado e disse que teve sua proposta do renda básica de cidadania ignorada pelo partido.

"[Quero] entregar ao Aloizio Mercadante a proposta que não foi considerada ainda, entre os itens principais, a instituição da renda básica de cidadania, aprovada por todos os partidos, sancionada pelo presidente Lula e está no programa do PT há muito anos, todo ano. Ele tem alguma coisa comigo, não me convidou para esta reunião. Você sabe com quem que eu soube da reunião? Ontem a noite; 'Você não vai na reunião do partido?'. Não fui convidado, mas hoje eu estou aqui. E continuarei trabalhando muito para que Lula e Alckmin instituam a renda básica de cidadania enquanto eu estiver vivo ainda", disse o ex-senador de pé, fora dos microfones.

Na sequência, Mercadante, que liderou a criação do esboço do plano de governo e foi o mediador do evento desta terça, tentou desfazer o constrangimento. Ele agradeceu a proposta e disse que ainda terão chance de debate-la.

Sem sair do papel, a ideia de Suplicy é usada como inspiração por Ciro Gomes (PDT) em uma proposta de transferência de renda para o seu plano de governo à Presidência.

Manifestante

No mesmo evento, o candidato a deputado pelo Republicanos em SP Caíque Mafra interrompeu a fala de Lula e questionou o vice da chapa, Geraldo Alckmin, sobre a aliança com o petista:

“Vai voltar à cena do crime, Alckmin?”, disse Mafra enquanto se dirigia à frente da mesa onde os políticos se sentavam junto de outras lideranças partidárias.

Lula não interrompeu a fala e o homem foi retirado por seguranças do local. Apesar de sustentar um discurso armamentista, Lula tem guarda-costas que andam com submetralhadoras. O candidato não entra em locais fechados que não tenham detectores de metais.