Em primeiro discurso, presidente eleito da Colômbia fala em soltar presos

Gustavo Petro, ex-membro do movimento guerrilheiro M-19 que prometeu mudanças sociais e econômicas profundas, venceu a disputa pela presidência da Colômbia no domingo (19). O país tem agora seu primeiro presidente de esquerda. E no discurso da vitória, Petro declarou que uma de suas principais intenções é soltar presos, tirando da cadeia principalmente os jovens. Um discurso bem parecido ao do candidato do PT à presidência do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva.

O novo presidente colombiano se dirigiu diretamente ao procurador-geral do país, para adiantar o pedido de soltar presos, sem entrar em detalhes sobre critérios. O discurso foi saudado por seus simpatizantes com gritos de “liberdade, liberdade”.

“Quantas pessoas estão na prisão hoje neste momento, quantos jovens acorrentados, algemados, tratados como bandidos, simplesmente por terem esperança, simplesmente porque tinham amor”, declarou Gustavo Petro, em menção a presos políticos.

Leia também: GENRO DE ABÍLIO DINIZ CRITICA LULA, APÓS PETISTA ADMITIR PEDIDO DE LIBERTAÇÃO DE SEQUESTRADORES

Petro venceu o magnata da construção Rodolfo Hernández com uma margem inesperadamente ampla, de mais de 700 mil votos, no que analistas disseram ser uma demonstração da ânsia dos colombianos por esforços para combater a profunda desigualdade.

Ex-prefeito da capital Bogotá e atual senador, Petro, de 62 anos, disse que foi torturado pelos militares quando detido por seu envolvimento com a guerrilha. Ele prometeu combater a desigualdade com educação universitária gratuita, reforma previdenciária e altos impostos sobre terras improdutivas. Com seu discurso populista, Petro obteve 50,5% dos votos contra 47,3% de Hernández.

Esta campanha foi a terceira candidatura presidencial de Petro, que passará a comandar o país a partir de 7 de agosto.