Dia Mundial do Doador de Sangue: não há riscos para quem doa e para quem recebe O sangue é insubstituível e sem ele é impossível de viver sem. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), para a manutenção dos estoques regulares é necessário que 1,5% a 3% da população doe sangue regularmente. Hoje, o Brasil possui 1,8% de doadores, sendo coletado em todo o pais, aproximadamente 3,5 milhões de bolsas de sangue por ano.

A doação de sangue é um ato de solidariedade que ajuda pacientes no centro cirúrgico, aqueles acometidos pelo câncer, hemofílicos e transplantados. Apenas uma bolsa de sangue é capaz de ajudar até quatro pessoas pelo seu fracionamento. Contudo, nem todas as pessoas são elegíveis a doação.

Os requisitos básicos para a doação de sangue é ter entre 16 e 69 anos, e que pese mais de 50kg. Mas, algumas doenças podem impedir o ato, como doenças hematológicas, cardíacas, renais, pulmonares, hepáticas, autoimunes, diabetes, hipertireoidismo, hanseníase, tuberculose, câncer, sangramentos anormais, convulsões, ou portadores de doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue como Doença de Chagas, Hepatite, AIDS, Sífilis. Se estiver com gripe ou alergia deve esperar sete dias após sarar para doar sangue. Além disso, algumas vacinas impedem temporariamente a doação.

A diretora médica da Clínica de Hemoterapia de Niterói, Catarina Finkel, explica que apesar dos impedimentos, a doação de sangue é segura, não havendo riscos para quem doa e quem recebe. "Os bancos de sangue, incluindo nós da Clínica, realizamos um controle extremamente seguro. As pessoas interessadas em doar realizam exames para a detectar vírus e doenças antes da doação".

Catarina esclarece que existem várias regras de saúde e vigilância sanitária para evitar ao máximo a possibilidade de doação de sangue contaminado. "Os hemocentros realizam as seguintes etapas para liberar o candidato para a doação. São elas: cadastro, a triagem onde verificamos sinais vitais, hematócrito/hemoglobina e serão feitas algumas perguntas para garantir a segurança da doação e qualidade do sangue".

Além das doenças listadas acima, a diretora médica da Clínica de Hemoterapia de Niterói aponta algumas situações que impedem a doação parcialmente, respeitando períodos de recuperação:

Estar gripado ou com processo alérgico (tosse, coriza);
Vacina de Sarampo e Tétano – 4 semanas;
Ter feito tatuagem e/ou piercing há menos de 1 ano;
Ter realizado endoscopia e/ou colonoscopia nos últimos 6 meses;
Ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas;
Ser usuário de drogas ilícitas; e alguns medicamentos impedem a doação (essa questão será tratada na Triagem Clínica, no momento da doação)
Vacina de gripe – 48 horas (2 dias);
Vacina Astrazeneca/Pfizer – após 7 dias;
Candidatos que apresentaram infecção pelo Covid-19 são considerados inaptos por um período de 30 dias.

Clínica de Hemoterapia
Rua Almirante Teffé, nº 594, Sobrado, Centro - Niterói – R.J.
(21) 2621-9100 / @doacaodesangue, nas mídias sociais
Horário de Funcionamento: 7h30 às 18h30

Centro de Transfusão de Nova Iguaçu/Nilópolis (CTN)
Rua Cirílo, 183 - Juscelino, Mesquita, RJ
(21) 2796-5464
Horário de Funcionamento: 7h30 às 16h