Defesa intensifica buscas por indigenista e jornalista desaparecidos no Amazonas

O Ministério da Defesa soltou uma nota na noite de ontem (7) informando que as Forças Armadas intensificaram as buscas pelo indigenista e servidor da Fundação Nacional do Índio (Funai), Bruno Araújo Pereira, e pelo jornalista inglês Dom Philips, na região do Vale do Javari, em Atalaia do Norte, no Amazonas.

Segundo a nota, na segunda-feira (6) a Marinha enviou ao local uma equipe de Busca e Salvamento (SAR) da Capitania Fluvial de Tabatinga e militares percorreram os rios Javari, Itaquaí e Ituí, no interior do estado do Amazonas, com uma lancha. Nesta terça-feira, além destas equipes, foram utilizados na busca um helicóptero, embarcações e uma moto aquática.

O ministério informou que desde ontem, o Exército utiliza nas buscas cerca de 150 militares especialistas em operações em ambiente de selva, que conhecem o terreno onde se desenvolvem as buscas. "Além disso, a Força Terrestre apoiará a Polícia Federal com o emprego de um helicóptero, agregando mobilidade às ações interagências", diz a nota.

Presidente

O presidente Jair Bolsonaro disse ontem que espera que o indigenista Bruno Araújo Pereira e o jornalista inglês Dom Phillips sejam encontrados "brevemente".

De acordo com Bolsonaro, duas pessoas foram detidas pela Polícia Federal e são investigadas. O presidente disse que a região onde ocorreu o desaparecimento é "completamente selvagem" e "onde tudo pode acontecer".

Ele afirmou ainda que viagem que os dois faziam no Amazonas "é uma aventura que não é recomendável."

"O que nós sabemos até o momento? Que no meio do caminho teriam se encontrado com duas pessoas, que já estão detidas pela Polícia Federal, estão sendo investigadas. E, realmente, duas pessoas apenas num barco, numa região daquela, completamente selvagem, é uma aventura que não é recomendável que se faça. Tudo pode acontecer. Pode ser um acidente, pode ser que eles tenham sido executados. Tudo pode acontecer. A gente espera e pede a Deus para que sejam encontrados brevemente. As Forças Armadas estão trabalhando com muito afinco na região", afirmou Bolsonaro.









*Foto: Ministério da Defesa