Debates sobre homossexualidade provocam divisões entre metodistas nos EUA

Setenta congregações na Geórgia, EUA, decidiram deixar a Igreja Metodista Unida devido em parte ao debate sobre a homossexualidade levantado na denominação.

A “UMC North Georgia Conference” anunciou na quinta-feira (02) que 70 congregações representando 9% de suas igrejas e 3% de seus membros optaram pela desfiliação.

A data oficial de desfiliação das igrejas será 30 de junho.

Espera-se que muitas, se não todas, essas congregações que estão partindo se unam à recém-criada Igreja Metodista Global, que foi lançada como uma alternativa conservadora à UMC.

“Abençoe essas congregações enquanto elas partem”, orou o bispo da Geórgia do Norte Sue Haupert-Johnson, conforme citado pelo anúncio. “Oro para que sejamos parceiros no ministério e você faça seu poderoso trabalho de curar a divisão e superar as divisões.”

A saída das 70 igrejas da Conferência da Geórgia do Norte ocorre no momento em que muitas outras congregações nos Estados Unidos estão deixando a UMC devido ao debate em andamento sobre questões LGBT.

O Livro de Disciplina da UMC atualmente rotula a homossexualidade como “incompatível com o ensino cristão” e proíbe a bênção de uniões do mesmo sexo ou a ordenação de homossexuais não celibatários.

No entanto, muitos na UMC se opõem inflexivelmente à postura baseada na Bíblia do Livro de Disciplina e alguns líderes proeminentes da denominação se recusaram a fazer cumprir as regras.

Além das 70 igrejas no norte da Geórgia, 35 congregações no Arkansas e mais de 100 congregações na Flórida estão passando por um processo de discernimento para considerar a possibilidade de deixar a UMC.





Imagem: Unplash