Mulheres invadem culto, tiram a roupa e xingam palavrões em protesto contra a proibição do aborto Três ativistas do direito ao aborto interromperam os cultos na Igreja Lakewood do pastor Joel Osteen, em Houston, Texas, EUA, na manhã de domingo (05).  
O protesto foi aparentemente em resposta a um parecer vazado da Suprema Corte dos EUA escrito pelo juiz Samuel Alito que indica que o tribunal está se preparando para derrubar a decisão histórica de 1973, que tornou o aborto um direito constitucional nos Estados Unidos. 

Relatado pela imprensa internacional, essa decisão pode sair ainda este mês. 

O grupo ativista Rise Up 4 Abortion Rights postou um pequeno vídeo nas mídias sociais de sua invasão ao culto da Igreja Lakewood na tarde de domingo.

O vídeo, gravado com um iPhone de um assento no chão, captura o início da mensagem de Osteen enquanto a congregação se levanta para repetir uma oração com o pastor antes que ele comece sua mensagem.  

Um homem e uma mulher loira aparecem no vídeo em pé na frente da pessoa com o telefone. A mulher e outra mulher sentada na frente dela parecem estar gravando Osteen com seus telefones enquanto ele lidera a congregação. 

Quando a oração termina, a congregação repete "Em nome de Jesus" e se senta enquanto Osteen diz à plateia: "Deus os abençoe". Então a mulher diretamente na frente da câmera entrega seu celular para o homem ao lado dela.

O vídeo mostra quando o público se senta, a mulher permanece de pé e levanta o vestido até a cabeça. 

"É o meu corpo! Minha maldita escolha!", gritou a mulher enquanto se virava para a câmera revelando marcas de mãos verdes em seu sutiã com uma bandana verde em sua calcinha. 

"É meu corpo! Minha escolha!", ela repete enquanto o vídeo mostra duas outras mulheres que estavam sentadas ao lado dela também tirando suas roupas e vociferando palavras de baixo calão.