Medicamento para diabetes ajuda pacientes a perder peso nunca antes visto, mostra estudo Um medicamento aprovado para tratar o diabetes tipo 2 se mostrou extremamente eficaz na redução da obesidade, de acordo com um novo estudo.

A droga, chamada tirzepatida, funciona em dois hormônios naturais que ajudam a controlar o açúcar no sangue e estão envolvidos no envio de sinais de saciedade do intestino para o cérebro.

Os pesquisadores notaram que as pessoas que tomaram o medicamento para diabetes perderam peso. O novo estudo se concentrou em pessoas que têm obesidade sem diabetes e encontraram ainda mais perda de peso.

Aqueles que tomaram a maior das três doses estudadas perderam até 21% de seu peso corporal – 21 kg em alguns casos.

Nada proporcionou esse tipo de perda de peso, exceto a cirurgia, disse o Dr. Robert Gabbay, diretor científico e médico da Associação Americana de Diabetes. O estudo completo foi apresentado no sábado (04) na convenção anual da ADA em Nova Orleans e publicado simultaneamente no The New England Journal of Medicine.

Em 13 de maio, a Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora de medicamentos dos EUA, aprovou o tirzepatida, sob o nome comercial de Mounjaro, para o tratamento do diabetes tipo 2.

O tirzepatida não está disponível para perda de peso, mas a farmacêutica Eli Lilly

espera ter um cronograma atualizado do FDA este ano. Antes de aprovar o medicamento para perda de peso, a agência reguladora pode querer que a farmacêutica complete outros estudos em andamento examinando o tirzepatida em pessoas com obesidade e diabetes e a adição de mudanças no estilo de vida ao regime do medicamento.

O aval para uso da droga já foi solicitado à Anvisa e, se aprovado, pode estar disponível “em meados de 2023”, de acordo com a farmacêutica.

A perda de peso de 15% a mais de 20% tem o potencial de mudar a maneira como os médicos tratam o diabetes, segundo os pesquisadores, do foco na redução do açúcar no sangue para a remissão total.

Um estudo anterior do tirzepatida no diabetes mostrou que metade dos participantes que estavam no início do diabetes entrou em remissão enquanto tomavam o medicamento.