Rapper M.I.A. se declara cristã, mesmo sob  risco de perder fãs progressistas A rapper britânica M.I.A. revelou recentemente ao podcast da Apple Music como sua conversão ao Cristianismo. Ela disse ter renascido após ter uma visão de Jesus Cristo. A cantora e compositora, que também é cineasta, produtora e diretora se diz muito orgulhosa de sua decisão, mesmo que isso possa lhe custar sua carreira.

Em uma conversa com Zane Lowe na Apple Music, M.I.A., nascida Mathangi "Maya" Arulpragasam, revelou que uma visão de Jesus Cristo em 2017 virou seu mundo de cabeça para baixo.

A visão de Jesus convenceu a intérprete de "Paper Planes" a se tornar cristã, apesar de anos rejeitando a religião.

"Desde então, minha cabeça está em um lugar totalmente diferente. Sendo um tâmil e sendo hindu, eu estava muito confortável que eu tinha me encontrando. O que é, eu acho, estranho para a América processar", disse ela a Lowe sobre sua visão divina. "Mas eu tive uma visão e vi a visão de Jesus Cristo."

"Porque tudo o que eu pensava e acreditava não importava mais. E eu acho que talvez isso fosse um sinal de que algo importante iria acontecer no mundo e que as pessoas estavam precisando ser introduzidas a esse conceito."

Em 2006, M.I.A. foi proibida de entrar nos EUA por um tempo devido a suas letras controversas e seu suposto apoio a um grupo guerrilheiro do Sri Lanka chamado Tigres Tâmil. Nos EUA, o grupo é considerado uma organização terrorista.

Ela revelou no podcast da Apple que antes de sua visão, ela achava que o conceito de cristianismo era "básico".

Nascida em Londres e de descendência tâmil do Sri Lanka, M.I.A. foi criada dentro do Hinduísmo. Ao longo de sua carreira, ela tem defendido refugiados e palestinos que vivem na Cisjordânia de Israel.

"Eu não vou mentir. Então, quando tive essa visão, virou meu mundo de cabeça para baixo. Eu meio que não conseguia largar o lado tâmil", revelou.

M.I.A está se preparando para lançar um novo álbum intitulado MATA através de sua nova gravadora, Island Records. Seu primeiro single, "The One", agora está em streaming. Ela observou que metade do registro ainda é influenciado por sua educação.

"Basicamente, todos os meus fãs podem se voltar contra mim porque são todos progressistas que odeiam pessoas que acreditam em Jesus Cristo neste país", acrescentou.