Johnny Depp vence na Justiça e ex-mulher terá de indenizá-lo em 15 milhões de dólares por difamação Após sete semanas de julgamento, Johnny Depp ganhou seu caso de difamação contra Amber Heard. O ator deverá ser indenizado em US $ 15 milhões após um julgamento bombástico marcado por alegações chocantes de abuso feitas por ambas as partes.

O painel de sete membros, composto por cinco homens e duas mulheres, também decidiu a favor de Heard, em parte, achando que Depp difamou a ex-mulher por meio de seu advogado. Eles concederam a ela US $ 2 milhões em danos compensatórios. 

Ela acusou o astro de "Piratas do Caribe” e a “Fábrica de Chocolate" de conspirar com seu advogado, Adam Waldman, para difamá-la, chamando suas alegações de abuso de farsa em três declarações à imprensa. A juíza Penney Azcarate reduziu a indenização por danos punitivos de Depp de US $ 5 milhões para US $ 350 mil

Depp, de 58 anos, que está em turnê com o guitarrista Jeff Beck na Inglaterra, não compareceu para o veredicto, enquanto Heard, de 36, sim.
Durante o julgamento, ambos estavam empenhados na destruição mútua, expondo os detalhes espalhafatosos de seu casamento fracassado em um confronto que deixou suas reputações em frangalhos. 

A prolongada batalha judicial começou em 2019, depois que Depp processou Heard no Tribunal do Condado de Fairfax, na Virgínia, por um editorial de 2018 que ela escreveu no Washington Post, identificando-se como uma "figura pública que representa abuso doméstico".

“Heard inventou suas alegações de abuso selvagens, exageradas e implausíveis depois que Depp disse a ela que queria acabar com o casamento de um ano, argumentou Camille Vasquez, advogada de Johnny Deep.