Sobe para 11 número de mortos no Hospital Badim

Subiu para 11 o número de mortos no incêndio que atingiu o Hospital Badim, na Tijuca, na noite dessa quinta-feira (12). Os bombeiros encerraram no fim da madrugada as buscas por mortos. Onze corpos - todos de pacientes, foram retirados durante varreduras. As vítimas estão sendo identificadas aos poucos. Enfermeiros, médicos, bombeiros e moradores da região ajudaram a acomodar pacientes em colchões nas calçadas na Rua São Francisco Xavier e em uma creche vizinha. Depois esses pacientes foram sendo levados para outros hospitais.



De acordo com a direção do hospital, a principal suspeita é que tenha havido um curto-circuito no gerador do prédio 1, espalhando fumaça para todos os andares do prédio antigo.



O prefeito Marcelo Crivella foi até o local e liberou a rede pública para receber os pacientes do hospital particular Badim.



Algumas pessoas chegaram a amarrar lençóis para tentar fugir do hospital em chamas. Uma das pessoas que tentou usar a "teresa" – como é popularmente chamada essa corda improvisada – foi Gigiane dos Santos, que estava como acompanhante de uma paciente. Logo após a queda, ela mandou um áudio desesperado para a família pedindo socorro. Segundo o marido, ela e outros pacientes não estavam conseguindo sair por corredores e escadas e a mulher acabou caindo da janela do terceiro andar ao tentar escapar.



Ao todo, 103 pacientes estavam internados no Hospital Badim. Muitos deles foram levados às pressas para outras unidades, outros aguardavam transferência nas ruas da região, que se transformaram em uma grande enfermaria. O centro de tratamento intensivo (CTI) foi transferido para a garagem de um prédio e para uma creche vizinha.



A direção do hospital abriu os canais suportefamiliares@badim.com.br e 97101-3961 (com acesso ao WhatsApp) para atender parentes.